cabecalho Anais2

COMPREENSÕES DE CRIANÇAS DE ANOS INICIAIS SOBRE INDEPENDÊNCIA DE EVENTOS

  • Atualizado: 11 Março 2016
  • Tamanho: 578.66 KB
  • Downloads: 109
  • Autoria: Rita Batista e Rute Borba

A independência de eventos é condição básica e fundamental para a aleatoriedade. A aleatoriedade, por sua vez, é considerada por Bryant e Nunes (2012) como uma das quatro exigências cognitivas para compreensão da probabilidade, além do espaço amostral, da comparação de probabilidades e das correlações. Numa sequência aleatória, os eventos que se sucedem não possuem qualquer relação ou influência sobre os ensaios futuros, nem passados. Cada evento é independente. Crianças, e também adultos, são influenciados pela natureza da relação que eles julgam existir entre dois ou mais eventos. O presente artigo é um recorte de uma pesquisa que investiga noções probabilísticas de crianças do 1º, 3º e 5º anos, cujos dados foram obtidos a partir de uma entrevista clínica, por meio de dois jogos. Os resultados apontaram que a maioria das crianças utilizou o significado intuitivo da probabilidade e que cometeram o erro de recência positiva ou de recência negativa. Vislumbramos que o ensino de probabilidade pode dar-se desde os anos iniciais, a partir de jogos, considerando noções intuitivas que as crianças já possuem e possibilitando discussões que permitam avanços em seus raciocínios probabilísticos